Criado para comemorar o 60º aniversário do IEN/CNEN, o Prêmio Luiz Aghina é um gesto de reconhecimento e agradecimento a personalidades e instituições que têm dado contribuições relevantes ao Instituto e ao setor nuclear brasileiro.

criado para comemorar o 60º aniversário do IEN/CNEN, o Prêmio Luiz Aghina é um gesto de reconhecimento e agradecimento a personalidades e instituições que têm dado contribuições relevantes ao Instituto e ao setor nuclear brasileiro. O prêmio foi instituído pelo Conselho de Gestão do IEN (CGIEN), composto por nove integrantes, responsáveis também pelas indicações. Pretende-se que seja anual, concedido sempre na celebração do aniversário do Instituto.

O nome do prêmio homenageia Luiz Osório de Brito Aghina, que fez parte do grupo de engenheiros fundadores do IEN, em 1962, e foi por muitos anos o responsável pela operação do reator Argonauta, marco inicial do Instituto. Aghina foi também diretor do IEN entre 1973 e 1977, orientou dezenas de profissionais da área nuclear e dedicou sua vida ao estudo e defesa do uso da energia nuclear em aplicações pacíficas, em particular na geração de eletricidade.

A premiação tem quatro categorias: Honra ao Mérito, Pesquisador Emérito do IEN, Menção Especial de Agradecimento (Profissional) e Menção Especial de Agradecimento (Institucional). Em 2022 serão dez agraciados, que receberão seus diplomas durante a cerimônia de comemoração dos 60 anos no auditório do IEN, no dia 6 de maio, a partir das 10h.

Diploma de Honra ao Mérito é concedido aos servidores do Instituto de Engenharia Nuclear (IEN/CNEN), ativos ou aposentados, em reconhecimento aos significativos serviços prestados para o crescimento, desenvolvimento, aprimoramento e divulgação do IEN. Nesta ocasião serão contemplados: Isaac José Antonio Luquetti dos Santos, engenheiro, precursor dos estudos de Engenharia de Fatores Humanos no IEN, atuando decisivamente na implantação do Laboratório de Interfaces Humano-Sistema (LABIHS) e na criação do Serviço de Engenharia de Sistemas Complexos do Instituto; Valdeci Maurilio Sobrinho, servidor desde 1979 e atualmente à frente do Núcleo de Apoio Administrativo do IEN; e Valéria da Fonseca e Silva Pastura, física nuclear, que implementou e é responsável pelo Programa de Capacitação Técnico-Científica do IEN, para profissionais da área nuclear.

O prêmio Pesquisador Emérito do IEN é concedido aos pesquisadores da área nuclear, ativos ou aposentados, da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) ou de outras instituições, pelo conjunto de sua obra científico-tecnológica e renome junto à comunidade científica - vertente acadêmica. O prêmio será concedido a: Celso Marcelo Franklin Lapa, físico, foi um dos idealizadores e fundadores da primeira pós-graduação stricto sensu do IEN, que posteriormente se tornou o Curso de Mestrado Acadêmico em Ciência e Tecnologia Nucleares, e um dos principais redatores do projeto que veio a se transformar na grande rede de colaboração  Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Reatores Nucleares Inovadores; e Su Jian, engenheiro mecânico e professor titular do Programa de Engenharia Nuclear da COPPE/UFRJ.

O prêmio Menção Especial de Agradecimento (Profissional) é concedido a pessoas físicas em reconhecimento aos significativos serviços prestados ao crescimento, desenvolvimento, aprimoramento e divulgação da área nuclear, nos últimos anos. Este ano serão contemplados: Aquilino Senra Martinez, físico com doutorado em Engenharia Nuclear e professor titular do PEN-COPPE/UFRJ; e José Augusto Perrotta, atualmente Inspetor de Salvaguardas da Agência Brasileiro-Argentina de Contabilidade e Controle de Material Nuclear (ABACC) e coordenador técnico do empreendimento Reator Multipropósito Brasileiro (RMB), um grande projeto integrador da área nuclear, que conta a participação de todos os institutos da CNEN.

 

O prêmio Aghina de Menção Especial de Agradecimento (Instituição) é concedido a pessoas jurídicas em reconhecimento aos significativos serviços prestados ao crescimento, desenvolvimento, aprimoramento e divulgação da área nuclear, nos últimos anos. Os premiados de 2022 são: Instituto Militar de Engenharia – IME, instituição de ensino do Exército Brasileiro, o mais antigo parceiro do IEN; Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares – IPEN, unidade da CNEN localizada em São Paulo, responsável pela pioneira fabricação da primeira carga de combustíveis do Reator Argonauta do IEN (1965); e o Programa de Engenharia Nuclear do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro - PEN/COPPE/UFRJ, que, para além do papel decisivo na formação de grande parte dos pesquisadores do Instituto, tem contribuído no doutoramento de muitos egressos do curso de mestrado do IEN.