O pesquisador Aaron Craft, do Idaho National Laboratory – INL (Idaho Falls, EUA), visitou o IPEN entre os dias 16 e 19 de maio, com objetivo de conhecer o Instituto e dar início à parceria firmada em janeiro de 2021, quando foi assinado o Memorando de Entendimento (MoU, do inglês Memorandum of Understanding) entre o IPEN e a Battelle Energy Alliance (BEA).

O INL é um dos laboratórios nacionais do Departamento de Energia dos Estados Unidos (United States Department of Energy – DOE), que são administrados pela Battelle. Em março de 2021, foi realizado o 1st Technical Meeting Battelle – IPEN/CNEN, na modalidade virtual, para apresentações institucionais e de pesquisadores com o propósito de estudarem possibilidades de parcerias em áreas científicas de interesse comum.

Craft, 34 anos, é presidente da sociedade Internacional de Neutrografia e foi recebido foi recebido pela diretora substituta, Isolda Costa, pelo superintende Wilson Calvo, e pelos gerente do Programa de Internacionalização, Niklaus Wetter, e do Centro do Reator de Pesquisas (CERPq), Frederico Genezini. 

Em março passado, a diretora adjunta do Laboratório de Ciência e Tecnologia do INL, Marianne Walck, já havia estado no IPEN e, na ocasião, mencionou o foco da instituição empesquisas de micro reatores, os chamados SMR, do inglêsSmall Module Reactor.

Após reunião com a diretoria, Craft visitou o Reator Nuclear de Pesquisas IEA-R1 e fez uma breve apresentação do INL. O pesquisador, que está atuando na área de Radiografia de Nêutrons, em conjunto com Genezini, apontou alguns possíveis caminhos para melhorias no equipamento em técnicas de imageamento, que é complementar à técnica com raio x por permitir a formação de imagens de objetos com número atômico baixo.

Pesquisador de destaque internacional, Craft também mencionou a radiografia dentro da piscina do Reator IEA-R1, técnica que expõe menos as pessoas à radiação e que, segundo Genezini, o IPEN ainda estudaviabilizar. A parceria possibilitará o trabalho conjunto nessas melhorias apontadas por Craft.

Para Genezini, o IPEN "acertou em cheio ao trazer Aaron Craft”. Segundo ele, além das contribuições para avanços técnicos, o pesquisador norte-americano "abre portas”. "Ele possui os contatos dos principais pesquisadores do mundo nessa área de imageamento de nêutrons. Inclusive, já me apresentou aos dois grandes nomes da neutrografia mundial: Eberhard Lehman [do Paul Scherre Institute] e o alemão Burkhard Schillinger, da Universidade de Munique”, conta Genezini.

O próximo passo é promover o intercâmbio de estudantes e pesquisadores – "É isso o que realmente vai aproximar as duas instituições no âmbito do convênio com a Battelle”, acredita Niklaus Wetter, gerente do Programa de Internacionalização. Inclusive, nesta visita, Craft convidou a Genezini para visitar o INL e participar de congressos e outras atividades.

Wetter e Genezini destacam que a colaboração com o Idaho Laboratory é "muito significativa”, considerando que seus pesquisadores têm muito a oferecer ao IPEN e vice-versa. "O pesquisador Aaron é alguém com grande potencial para se tornar a principal referência da área, futuramente”, avalia Genezini. Engenheiro nuclear pela Missouri University of Science and Technology, Craft é Ph.D. em Ciência e Engenharia Nuclear pela Colorado School of Mines (2012).

A diretora substituta, Isolada Costa, comentou que a vinda de Craft ao Brasil é um marco para o convênio com a Batelle e as parcerias futuras. "Foi a primeira visita presencial no âmbito do nosso convênio, e ele deixou claro que sai daqui com uma excelente impressão do potencial do IPEN e com o início de uma parceria com o Idaho, inclusive, colocou à disposição os laboratórios e toda a infraestrutura de pesquisa para nossos alunos e pós-doutorandos”.

Sobre o visitante

Aaron E. Craft é o principal investigador de vários projetos para desenvolver imagens de nêutrons avançadas e outras capacidades para o exame pós-irradiação de combustível nuclear. Ajudou a desenvolver sistemas portáteis de radiografia digital e tomografia computadorizada para investigação de munições em campo. Além disso, sua experiência com microtomografia computadorizada de raios X incrementou vários programas do INL a desenvolver combustíveis nucleares avançados e outros materiais relacionados à energia.