O IPEN/CNEN realizou na manhã desta terça-feira, 31, a recepção aos novos bolsistas de pós-doutorado, selecionados para 25 dos 46 projetos contemplados no Edital COPDE nº 6/2020 – InterCentros. Os Termos de Outorga foram assinados pela diretora substituta do Instituto, Isolda Costa, na cerimônia que contou com a presença do superintendente Wilson Calvo, de pesquisadores, supervisores e de 17 pós-doutorandos.

Os 46 projetos aprovados são financiados por orçamento próprio do IPEN/CNEN, e o recurso é alocado na Fundação para o Desenvolvimento da Pesquisa – FUNDEP. De acordo com Fernando Moreira, gerente do Escritório de Gestão de Projetos (EGP), a reunião teve como finalidade promover a integração dos bolsistas e mostrar algumas realizações recentes do IPEN, bem como destacar a importância da presença desses novos pesquisadores às atividades de pesquisa e inovação no Instituto.

Por enquanto, apenas 25 projetos foram contemplados cada qual com uma vaga para bolsa de pós-doutorado. Moreira acredita que, no futuro próximo, todos os 46 tenham seu bolsista pós-doutorando.

A concessão das bolsas será por um período inicial de 12 meses, prorrogáveis segundo critério de cada coordenador de projeto. O valor de cada bolsa é de R$ 4mil reais mensais, com possibilidade de reserva técnica ao bolsista correspondente a 15% do valor da bolsa, dependendo do aporte financeiro do projeto (mais informações no edital)

O evento foi conduzido por Moreira, que iniciou dando as boas-vindas aos presentes e, em seguida, apresentou os diretores do IPEN/CNEN presentes e ressaltou a importância da chegada dos novos pós-docs. "Esta é uma atividade muito importante para nós, por estarmos trazendo cabeças novas”, afirmou.

Além das pesquisas, Moreira ressalta que a ideia de concessão das bolsas é "criar oportunidades para que os pesquisadores continuem na casa o maior tempo possível”, pois, segundo ele, esses novos que chegam representam um acréscimo de 20% da força de pesquisadores do IPEN/CNEN.

Para Moreira, a expectativa é de que "haja cada vez mais publicações e que cada um desses pesquisadores tenha condições de formar novas equipes de pesquisas e, consequentemente, também possam auxiliar na formação de novos futuros pesquisadores”.

Na sequência, Costa fez uma breve apresentação do IPEN/CNEN, desde sua implementação, falando de estrutura organizacional e dos 11 Centros de Pesquisas espalhados pelos 500 milm2 que o Instituto ocupa no campus da USP, em São Paulo. "Apostamos muito em vocês que estão chegando. Realmente, é um motivo de satisfação poder contar com a presença e com a qualidade de vocês. Temos altas expectativas”, afirmou.

As principais atribuições dos bolsistas e as regras da FUNDEP foram apontas por Moreira. Entre elas, está a obrigatoriedade de produzir, anualmente, no mínimo uma publicação em revistas internacionais de destaque. Ele também explicou que, caso necessitem de mais recursos, os pós-doutorandos poderão realizar solicitações de compras. "Tudo o que for comprado com as verbas públicas ficará no IPEN/CNEN após o término do período da bolsa”, ressaltou.

O financiamento desses projetos e das bolsas com recursos do orçamento é mais uma iniciativa do IPEN/CNEN no sentido de reafirmar o compromisso com a melhoria da qualidade de vida da população brasileira. "Nós produzindo conhecimentos científicos, desenvolvemos tecnologias e geramos produtos e serviços visando beneficiar a sociedade”, salientou Costa.

Expectativas

Na última parte do evento, os bolsistas foram chamados, um a um, para também assinarem os respectivos Termos de Outorga. Na sequência, alguns deles foram convidados a falar de suas trajetórias e expectativas, entre eles, Maria José Alves de Oliveira, que está no IPEN/CNEN desde 2003, logo após ter concluído a graduação em química (bacharelado e licenciatura).

Em 2014, ela ganhou o Prêmio Prêmio Capes de Melhor Tese 2014, área de Engenharias II, pela tese "Obtenção de membranas de hidrogéis para tratamento alternativo de Leishmaniose Tegumentar", desenvolvida no Centro de Química e Meio Ambiente (CEQMA) e defendida em 2013. A pesquisa foi desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Tecnologia Nuclear IPEN/USP, sob a orientação da pesquisadora Duclerc Fernandes Parra, do Centro de Química e Meio Ambiente (CQMA/IPEN).

Desde então, Maria fez outros três estágios de pos-doutorado e, neste ano, inicia seu quarto, desta vez com supervisão do pesquisador Pablo Vásquez, do Centro de Tecnologia das Radiações (CETER). A expectativa da bolsista é dar sequência a um projeto inovador sobre resinas para restauro de obras de arte, o qual já foi aprovado nos pré-testes realizados no Irradiador Multipropósito de Cobalto-60.

Formado em química, Jefferson Torrecilha também foi contemplado com a bolsa. No IPEN/CNEN desde 2009, ele iniciará seu primeiro pós-doc, na área de aplicações para reatores, sob orientação do pesquisador Paulo Sérgio Cardoso da Silva, do Centro do Reator de Pesquisas (CERPq). As pesquisas terão o objetivo de analisar os rejeitos de reatores.

A expectativa de Torrecilha é de que a experiência no IPEN/CNEN contribua em todas as áreas de sua formação e com a sociedade: "Vai ser muito bom para ampliar conhecimento, currículo, e também para ajudar a descartar corretamente os rejeitos dos reatores”, disse.

Encerrando a cerimônia, o superintendente do IPEN/CNEN, Wilson Calvo, reafirmou "a confiança da casa” nos novos bolsistas e a importância que eles terão para o futuro da Instituição: "Nós encaramos vocês como pesquisadores do IPEN. Contamos com vocês para apoiarem esses projetos. Parabéns a todos que acreditaram, contem conosco, cobrem, e deem sugestões”. Também estiveram presentes Celso Gimenez e Demerval Rodrigues, respectivamente diretores de Planejamento e Gestão e de Segurança do IPEN/CNEN.

------
Leonardo Novaes, estagiário
(com supervisão)