Em 18 de Junho de 1956 Juscelino Kubitschek assinou a chamada "Lei Mater dos Químicos”, a Lei que regulamentou o exercício da profissão no Brasil, e que permitiu a criação dos Conselhos Federal e regionais de Química. A partir daí o dia 18 de Junho passou a ser considerado o Dia do Químico.

A Química é o ramo da ciência que estuda as alterações e transformações sofridas pela matéria, incluindo solo, água, ar, minerais e metais, bem como sua composição, propriedades e aplicações.

Sendo um profissional que possui um vasto leque de possibilidades profissionais, o Químico pode atuar em indústrias, saúde, agricultura, educação entre tantas outras atividades essenciais à vida humana.

Uma destas atividades é a pesquisa, essencial para novas descobertas, aplicações e resultados que promovam a melhoria da qualidade de vida da população. No IPEN-CNEN vários centros de pesquisas dependem destes profissionais para o desenvolvimento, por exemplo, de radiofármacos na Radiofarmácia ou o desenvolvimento de energia a partir de compostos químicos como ocorre no Centro de Pesquisas em Células a Combustível, além de pesquisas e análises químicas e ambientais no Centro de Química e Meio Ambiente, na Radioquímica do Centro do Reator Nuclear. 

Durante muitos anos, o IPEN desenvolveu inovações na área do Ciclo do Combustível Nuclear em que os conhecimentos dos profissionais de Química foram essenciais para os êxitos que tornaram o país um dos poucos a deter a tecnologia para o enriquecimento de urânio.

Por estas e outras atividades essenciais que o Químico desempenha, o IPEN demonstra seu profundo reconhecimento e gratidão.